Blog

Dando sequência à série  “Sítios e fazendas, seus sapos cobras e lagartos”, vamos falar sobre a famosa jiboia. Muito comum encontrá-la em regiões rurais, né? Pois bem, a Boa constrictor (Boa constrictor constrictorBoa constrictor amarali), conhecida como jiboia, não é peçonhenta e tão pouco agressiva. Porém, quando se sente ameaçada, ela produz um barulho bem característico, conhecido como “bafo ou assobio da jiboia”. Esse barulho, que lembra o som de um pneu furado, nada mais é do que a eliminação do ar contido nos pulmões de forma brusca, canalizado para a traqueia mais estreita. Podem ficar despreocupados que esse ar expelido não é venenoso, como reza a lenda! A jiboia é uma serpente bem dócil e tranquila, mas em último caso, como forma de defesa, ela pode dar bote. Então nada de ficar estressando a bichinha, hein!

Antigamente, acreditava-se que ao enrolar e apertar fortemente suas presas, as jiboias conseguiam quebrar seus ossos. Mas hoje sabemos que na verdade, ao apertá-las, o fluxo de sangue e de oxigênio que vai para os órgãos vitais do animal é interrompido. Elas são capazes de sentir o batimento cardíaco da presa e só param de apertar ao perceber que o coração parou de bater. Sabiam disso?

Além disso, as jiboias são animais vivíparos, ou seja, os embriões se desenvolvem dentro das fêmeas. Elas se alimentam de anfíbios, lagartos, aves, roedores e morcegos, e podem ficar bem grandes, chegando a 4 metros de comprimento.

Então agora todo mundo já sabe, se encontrarem uma jiboia por aí é só deixa-lá seguir seu caminho. Elas são serpentes incríveis e merecem todo o nosso respeito. Abraços e até a próxima!

Bárbara Vitorino

Comentários

O que achou da postagem?