Blog

Chegou a vez de conhecermos um representante da Amazônia, Gonatodes humeralis (Figura 1), uma pequena lagartixa que pode ser comumente encontrada em praticamente toda a região amazônica, tanto em florestas primárias como secundárias e, inclusive, em áreas antropizadas (Vitt et al., 1997).

Figura 1. Aspecto geral de um Gonatodes humeralis.

Este pequeno lagarto apresenta atividade ao longo de todo o período diurno, mas geralmente não é visto exposto ao sol, sendo menos encontrado nas horas mais quentes do dia (Vitt et al., 2000). A espécie tem hábitos predominantemente arborícolas, usando mais frequentemente troncos e galhos, embora também possa ser encontrado na serrapilheira e em edificações antrópicas (Oda, 2008). Machos costumam usar substratos mais altos que as fêmeas, contudo de esta diferença não ocorre quanto aos diâmetros dos poleiros utilizados (Miranda et al., 2010).

Gonatodes humeralis apresenta marcado dicromatismo sexual entre indivíduos adultos, em que os machos são mais conspícuos (Avila-Pires, 1995). Enquanto os machos apresentam um complexo padrão de manchas amarelas, vermelhas e pretas sobre um fundo marrom, as fêmeas adultas e os jovens são basicamente marrons ou cinzas, às vezes apenas com uma faixa e manchas claras sobre o dorso (Figura 2).

Figura 2. Dicromatismo sexual em Gonatodes humeralis. Fêmea adulta à esquerda e macho adulto à direita.

A dieta de G. humeralis é primariamente composta por artrópodes, mas também pode incluir moluscos e anelídeos (Vitt et al., 1997). Na estação chuvosa, machos comem principalmente besouros enquanto as fêmeas se alimentam mais de caracóis, por outro lado, na estação seca, ambos os sexos tendem a uma maior especialização por cupins (Miranda & Andrade, 2003).

Embora conheçamos consideravelmente a história natural de G. humeralis, este lagarto continua sendo um modelo de estudo especialmente adequado para investigar diversas questões ecológicas interessantes. Portanto, simbora calangar!!!

  • +Referências Bibliográficas

    Ávila-pires, T. C. S., 1995. Lizards of Brazilian Amazonia (Reptilia: Squamata). Zoologische Verhandenlingen, 299:1-706.

    Oda, W. Y. 2008. Microhabitat utilization and population density of the lizard Gonatodes humeralis (Guichenot, 1855) (Reptilia: Squamata: Gekkonidae) in forest areas in Manaus, Amazon, Brazil. Boletin do Museu Paraense Emílio Goeldi – Ciências Naturais, 3: 165-177.

    Miranda, J. P. & Andrade G. V. 2003. Seasonality in diet, perch use and, reproduction of the gecko Gonatodes humeralis from eastern Brazilian Amazon. Journal of Herpetology 37:433-438.

    Miranda, J. P.; Ricci-Lobão, A. & Rocha, C. F. D. 2010. Influence of structural habitat use on the thermal ecology of Gonatodes humeralis(Squamata: Gekkonidae) from a transitional forest in Maranhão, Brazil. Zoologia, 27: 35-39.

    Vitt, L. J.; ZANI, P. A. & BARROS, A. M. 1997. Ecological variation among populations of the gekkonid lizard Gonatodes humeralis in the western Amazon Basin. Copeia, 1997:32-43.

    Vitt, L. J.; Souza, R. A.; Sartorius, S. S.; Avila-Pires, T. C. S. & Espósito, M. C. 2000. Comparative ecology of sympatric Gonatodes(Squamata: Gekkonidae) in western Amazon of Brazil. Copeia, 2000: 83-95.

Daniel Passos

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e mestre e doutorando em Ecologia e Evolução pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Comentários

O que achou da postagem?