Physalaemus cuvieri

Nome científico: Physalaemus cuvieri Fitzinger, 1826
Nome popular:
Rã cachorro, Foi-gol Num-foi,
Classe:  Amphibia | Ordem: Anura | Família: #
Nomenclatura antiga:

  • +Espécies similares / Grupo

    #

Descrição da espécie:

É uma rã de porte pequeno a médio (20 a 39 mm de CRC). Seu dorso pode ser escuro ou com tonalidades fracas de castanho ou cinza ou mesmo verde, e com manchas ou linhas irregulares . A maioria dos indivíduos possui a parte interna das coxas e a região inguinal alaranjadas a avermelhadas. Os machos apresentam a região gular enegrecida e as fêmeas possuem a região gular branca.

Hábitos e Habitats:

A espécie é territorialista, porém quanto aos sítios de desova não é verificado territorialidade. Os machos não defendem recursos utitlizados pelas fêmeas na reprodução.

Apresenta distribuição geográfica em mais de um bioma, ocorrendo desde o estado do Pará, região central, nordeste, sudeste e sul do Brasil, até a Argentina, Paraguai, Bolívia e Venezuela. É uma espécie abundante em ambientes perturbados.

Reprodução:

As fêmeas de Physalaemus cuvieri escolhem seus parceiros sexuais, sendo atraídas atraídas preferencialmente  por características específicas do canto dos machos, o que resulta em uma tendência a selecionar machos maiores. Sua reprodução é restrita à estação chuvosa, utilizando ambientes permanentes e temporários para desovar, geralmente em áreas abertas. Os ovos são envoltos por uma espuma branca presos a vegetação marginal das poças. A eclosão ocorre cerca de 72 horas após a desova. Os girinos passam estão prontos para saírem de suas poças em cerca de 45 dias. são pequenos e vivem no fundo dos corpos d’água alimentando-se de matéria orgânica por cerca de 45 dias.

Sua reprodução ocorre em poças, temporárias ou permanentes, . Os ovos são depositados em ninhos de espuma flutuante,

Vocalização:

 Disponível | Enviada por: Fábio Maffei

Sua vocalização se assemelha a um latido, o que lhe dá o nome popular de rã-cachorro. Grandes coros dão a impressão de pessoas discutindo se “foi-gol-não-foi”, seu outro nome popular.

Informações sobre os girinos:

Em breve

Mapa de Registro:

Em breve

  • +Referências Bibliográficas

    ANDRADE, Gilda Vasconcellos de . A historia de vida de Physalaemus cuvieri (Anura: Leptodactylidae) em um ambiente temporario. Tese apresentada ao Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Capinas como parte dos requisitos para obtenção do título de Doutor em Ciências Biológicas (Ecologia). Capinas, SP. 1995

    RIBEIRO, Ricardo da Silva; EGITO, Gabriel Toselli Barbosa Tabosa do; HADDAD, Célio Fernando Baptista. Chave de identificação: anfíbios anuros da vertente de Jundiaí da Serra do Japi, Estado de São Paulo. Biota Neotrop.,  Campinas,  v. 5,  n. 2,   2005 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032005000300017&lng=en&nrm=iso>. access on  29  Jan.  2012.  http://dx.doi.org/10.1590/S1676-06032005000300017.

    CONDEZ, T.H, SAWAYA, R.J. & DIXO, M. 2009. Herpetofauna of the Atlantic Forest remnants of Tapiraí and Piedade region, São Paulo state, southeastern Brazil. Biota Neotrop. 9(1): http://www.biotaneotropica.org.br/v9n1/en/abstract?inventory+bn01809012009

  •