Leptodactylus hylaedactylus

Nome Científico: Leptodactylus hylaedactylus (Cope, 1868)
Nome popular:
popular
Classe:  Amphibia | Ordem: Anura | Família: família
Nomenclatura antiga: Adenomera hylaedactyla Martins, 1989

  • +Espécies similares / Grupo

    Não há conhecimento sobre espécies similares

  •  

Descrição da espécie:

Machos 22-24 mm, fêmeas 26-27 mm. O dorso tem várias tonalidades de marrom, com algumas manchas escuras. Duas linhas de glândulas são bem definidas na região dorsolateral. A distância dos olhos até a ponta do focinho é uma vez e meia o diâmetro do olho. O ventre, o tórax e a região gular são brancos, mas a parte posterior do ventre e o interior das coxas são amarelados. A íris é de cor bronze.

Hábitos e Habitats:

Terrestres, diurnos e noturnos. Ocorre em áreas abertas e bordas de fragmentos florestais. Interações territoriais entre machos são observados. Alimentam-se principalmente de besouros, diplópodos e formigas.

Reprodução:

Reproduzem-se durante todo o ano, mas com um pico na estação chuvosa. Os machos vocalizam sobre o solo, escondidos embaixo de folhas e galhos caídos.
Os machos escavam pequenos buracos no solo, onde a fêmea deposita cerca de  5 ovos em um ninho de espuma. Os girinos desenvolvem-se até a metamorfose dentro do ninho, vivendo exclusivamente de suas reservas nutritivas.

Vocalização:

 Disponível | Enviada por: #

A vocalização ocorre  principalmente entre 17:00 e 21:30 e  são observados interações acústicas, indicando territorialidade. O canto de anúncio possui uma taxa de 148 notas/minuto, duração média de 50 ms, com freqüência dominante de 4,01 kHz .

Informações sobre os girinos:

Em breve

Mapa de Registro:

Em breve

Galeria de Imagens / Variação da espécie:

Em breve

  • +Referências Bibliográficas

    ALMEIDA, Alexandre Pinheiro de. Biologia reprodutiva de duas espécies de Leptodactylus (Anura, Leptodactylidae) na Amazônia Central: implicações taxonômicas. Universidade Federal do Amazonas
    Departamento de Ciências Biológicas Estágio de Monografia-2. Manaus, 2009.

    Guia de Sapos da Reserva Adolpho Ducke, Amazonia Central by Lima et al. 2005 (Baixar o Guia)

  •